Você e seu dinheiro: como fazer esse relacionamento de longo prazo funcionar

31/08/2020 02:54

Imagem interna

Se você não começou bem essa relação, não se preocupe: uma das grandes vantagens é que o dinheiro não guarda rancor.

De zero a dez, o quanto você acredita que toma decisões financeiras de maneira racional?

Pois saiba que nem você, nem ninguém, é muito racional quando o assunto é dinheiro.Todas as nossas decisões são influenciadas por questões emocionais, e com o dinheiro não é diferente.

Gastar demais, perder o rumo do planejamento financeiro ou simplesmente não planejar e procrastinar indefinidamente esse momento de organização são comportamentos muito comuns que acabam acontecendo e que a maioria das pessoas sente uma certa vergonha da sua vida financeira.

Em grande parte dos casos, a relação com o dinheiro é conturbada, borrada, sem clareza e mal resolvida.Para facilitar o seu entendimento, quero que você faça um exercício de reflexão: pense no seu dinheiro como se você tivesse com ele um relacionamento de longo prazo. Não como algo estático, como um pedaço de papel ou um número na sua conta bancária. Mas sim como algo dinâmico.

Seu dinheiro e suas finanças são uma espécie de entidade que você desafia e com a qual cria ou perde oportunidades, circula e interage.

Querendo ou não, você tem um relacionamento diário com essa entidade, tem sentimentos em relação a ela, e toma decisões sobre dinheiro o tempo inteiro.Essas decisões afetam a sua situação financeira, e seus impactos afetam você, seus sentimentos e, em consequência, seus comportamentos futuros.

Veja bem, entenda que esse relacionamento é talvez um dos mais longos que você desenvolverá durante a sua vida. Um relacionamento diário, intenso e duradouro, mas que nem por isso precisa ser ruim!

InfoMoney

Por Thiago Godoy